Prefeitura Realiza Asfaltamento em Nova Olinda do Maranhão

A Prefeitura de Nova Olinda do Maranhão segue realizando obras de capeamento e recapeamento asfáltico, com recursos próprios do município, melhorando a pavimentação nas ruas da cidade.

Serão feitos 5,8 km de asfalto com um investimento inicial de R$1.000.000,00 que totalizarão R$2.500.000,00 em asfaltamento.


Nesta semana os serviços foram iniciados pela Rua 7 de Setembro, serão comtempladas as ruas do Bairro Vila Iracy, Bairro Novo e parte do Bairro Sales, algumas ruas do Centro e do Bairro do Trator.

As ruas que já possuem pavimentação em pedra receberão capeamentos asfálticos, às que não tiverem receberão serviços completos de asfaltamento.

Além do asfaltamento serão executadas obras de meios-fios e sarjetas nos locais onde não tem, serão também restaurados os locais onde estão danificadas, "São obras necessárias para preservação do asfalto, visando o máximo de benefício e durabilidade", afirmou o engenheiro responsável Dr Rogério Sardinha. 

Em outros pontos a Secretaria de Obras intensifica a operação tapa-buracos, aproveitando o período de ausência de chuvas no município.



Compartilhe:

47 mil pessoas perderam o emprego somente em agosto no Maranhão

 


Maranhão soma 445 mil desempregados em agosto. A PNAD COVID-19, divulgada pelo IBGE, traz dados sobre trabalho e saúde no estado


Em agosto, o número de pessoas desocupadas no Maranhão subiu para 445 mil, sendo que 47 mil pessoas perderam as suas ocupações no mês passado. Esse é o maior número registrado desde maio, quando teve início a série histórica da pesquisa.

A taxa de desocupação atingiu 18,1%, um aumento de 1,4 ponto percentual frente ao mês anterior (16,7%). Maranhão e Bahia, que também está com a percentagem de 18,1%, apresentaram a maior taxa de desocupação do país em agosto. As informações são da edição de agosto da PNAD COVID 19, divulgada ontem, quarta-feira (23), pelo IBGE.

Não procuraram emprego

O número das pessoas que não procuraram emprego diminuiu em agosto. Aquelas pessoas que gostariam de trabalhar, mas não procuraram emprego por conta da pandemia, o Maranhão apresentou percentual de 41%, totalizando, em termos absolutos, 960 mil pessoas. Números menores que os registrados em julho: 42%, correspondendo a 1,046 milhão de pessoas.

A Proxy da Taxa de Informalidade (percentual de pessoas ocupadas como trabalhadores informais em relação ao total de pessoas ocupadas) foi de 52,3% em agosto no Maranhão. Em julho, a taxa foi de 51,7%.

Ganho mensal aumentou

Já o rendimento médio real efetivamente recebido de todos os trabalhos foi de R$ 1.327 no mês de agosto. Valor maior que os R$ 1.295 apresentados em julho.

De acordo com a pesquisa, 65,5% dos domicílios maranhenses receberam auxílio emergencial em agosto. Esse percentual foi o 2º mais elevado dentre as Unidades da Federação, menor apenas que o registrado no estado do Amapá (71,4%). Em julho, o percentual do Maranhão foi de 65,8%.

Cai número de maranhenses com síndrome gripal

Em relação à saúde, a PNAD COVID 19 apontou que, em agosto, 458 mil pessoas (6,5% da população do estado) apresentaram pelo menos um dos sintomas investigados pela pesquisa, como febre, tosse e dor de garganta. O número é inferior ao estimado no mês anterior, quando 485 mil pessoas relaram ter algum dos sintomas.

Quanto aos sintomas conjugados – perda de cheiro ou sabor; febre, tosse e dificuldade de respirar; e febre, tosse e dor no peito –, o Maranhão registrou queda, de 131 mil pessoas em julho, para 68 mil em agosto.

Das pessoas que apresentaram sintomas conjugados, 25 mil buscaram atendimento em estabelecimento de saúde como postos de saúde, pronto socorro, hospital do SUS ou privado. Já entre os que apresentaram sintomas isoladamente, 82 mil procuraram atendimento.

Os resultados da pesquisa apontam também que 522 mil pessoas (7,4% da população) realizaram algum teste para diagnóstico da Covid-19 desde o início da pandemia até agosto de 2020 no Maranhão. Até julho, 433 mil pessoas haviam se submetido a teste.

Outro dado relevante apresentado pela edição de agosto da PNAD COVID 19 diz respeito à presença de itens básicos de limpeza e proteção nos domicílios. Em 99,4% dos lares maranhenses, estavam presentes sabão e detergente; em 95,6%, estavam presentes álcool 70% ou superior (em gel ou líquido); em 99,3% dos lares, havia máscaras; em 30,1%, luvas descartáveis; e, em 98,3% dos domicílios, foi registrada a presença de água sanitária ou desinfetante.

O Imparcial

Compartilhe:

Assembléia de Deus (Congregação Maanaim) realizará dois grandes eventos neste fim de semana


Assembléia de Deus de Nova Olinda do Maranhão (Congregação Maanaim) realizará nesse final de semana dois grandes eventos, sendo na sexta-feira (25) Encontro de Jovens com  tema "Jovens Frutificando em Tempos de Crises" o evento conta com a participação da Preletora Eloisa e a participação da Banda Fidelidade,Vocal Vaso de Alabastro e vocais locais e no Sábado (26) Culto em Ação de Graças do Círculo de Oração Monte Horebe com o tema "Estejam Vigilantes,Matenham-se Firmes na Fé,Sejam Homens de Coragem,Sejam Fortes" no evento estará presente o Pr Presidente Vicente Amorim,Preletora Elda de Carutapera-MA,Vitória,Milena,Banda Kairós,vocais locais,varões adoradores.

A igreja fica situada na Rua das Neves  S/N no Bairro Sales em Nova Olinda,o horário do evento é a partir das 19:00 horas.


Compartilhe:

Setembro Amarelo: entrevista com a psicóloga Danielle de Castro Aguiar


Uma das principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo é o suicídio, por isso a campanha do Setembro Amarelo tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o tema. A convidada para falar sobre o assunto é a psicóloga Danielle de Castro Aguiar, que trabalha atualmente no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município de Nova Olinda do Maranhão.

Nova Olinda Agora: Qual a Importância do trabalho da prevenção contra o suicídio?

Drª Danielle Castro: O trabalho é importante em muitos aspectos na vida de uma pessoa. A ajuda a ocupar a mente e a pessoa se sentir útil é algo muito importante pra ter uma saúde mental em equilíbrio.

Nova Olinda Agora: A senhora acha que existe um tabu em relação sobre falar abertamente sobre o suicídio?

Drª Danielle Castro: As pessoas tem a  falsa ideia de que se falar de suicídio vai estimular a alguém a cometer tal ato. É um tema que merece atenção e cuidado. Estimular as pessoas a falarem sobre seus sentimentos é um grande passo na prevenção do suicídio. Vale ressaltar que existem inúmeras causas que pode fazer com que o ser cometa o suicídio. O uso de drogas, transtornos mentais, depressão... É importante procurar ajuda de um profissional.

Nova Olinda Agora:  A sociedade Nova-Olindense tem papel primordial para diminuir os casos de suicídio no município através da conscientização, qual seria a estratégia adequada para que essa ação surta efeito?

Drª Danielle Castro: As palestras em escola pode ser um grande começo para que haja um entendimento maior sobre o tema.

Existe psicólogo no CRAS e no SESP pra ajudar as pessoas que têm a necessidade de um tratamento.

As pessoas de uma forma geral tem que está atenta aos familiares, amigos na mudança de comportamento, em procurar essa pessoa pra conversar. Muitas vezes uma boa conversa pode salvar alguém. Nem sempre quem comete o suicídio é alguém depressivo, suicídio é um ato de desespero.

Nova Olinda Agora:  Quando há uma suspeita de alguém na própria família que tenha pensamentos suicidas qual a medida que se deve adotar neste caso?

Drª Danielle Castro: Conversar com a pessoa e procurar ajuda profissional. A pessoa precisa de apoio e empatia.

Nova Olinda Agora:  Qual a mensagem que a senhora deixa para toda população?

Drª Danielle Castro: A mensagem que eu deixo é que apesar de tudo, todas as dificuldades que a gente passe, a vida sempre vale a pena!!!!

Você não está só, sempre vai ter alguém pra te ouvir e ajudar. Nunca perca a fé em você e nem na vida

Deus abençoe todos nós.


Compartilhe:

Recebeu Auxílio Emergencial sem ter direito? Veja como devolver


Cidadãos que receberam Auxílio Emergencial sem ter direito e não devolver o dinheiro pode responder criminalmente.

Mais de 67 milhões de brasileiros já receberam pelo menos uma parcela do Auxílio Emergencial, segundo dados da Caixa econômica Federal (CEF). Mais de 1,3 milhão de CPFs, no entanto, chegaram a ser bloqueados por suspeita de fraude no benefício.

Mas quem recebe o benefício indevidamente, sem se enquadrar nos critérios do governo, pode responder criminalmente pela infração - mesmo sem fazer parte de algum esquema como a "central de fraudes" descoberta pela polícia em agosto, especializada em realizar saques indevidos. A medida está prevista no art. 2º da Lei n.º 13.982/2020, segundo o Ministério da Cidadania.

Para evitar problemas, quem recebeu sem ter direito deve fazer a devolução do dinheiro.

Até o final de agosto, foram devolvidos aos cofres públicos mais de R$ 134,7 milhões, que haviam sido recebidos por 135.709 pessoas.

Devolução


Em maio, o governo federal lançou um site para facilitar a devolução do Auxílio Emergencial: www.devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br.

Ao acessar o sistema com o CPF, o usuário pode gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) para ser paga nos canais de atendimento do Banco do Brasil ou em qualquer outro banco.

Vale lembrar que têm direito ao benefício trabalhadores informais, desempregados, MEIs e contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) , maiores de idade e que cumpram requisitos de renda média (veja lista completa).
Principais dúvidas

Confira 10 dúvidas comuns sobre a devolução do Auxílio Emergencial respondidas pelo Ministério da Cidadania:

Com o recente anúncio de extensão do programa, quem não precisar mais do auxílio pode deixar de recebê-lo?

Sim. Basta devolver a próxima parcela no sistema Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da CGU) para o benefício ser cancelado. Para a contínua concessão do Auxílio Emergencial, é sempre necessário respeitar os critérios estabelecidos no art. 2º da Lei n.º 13.982/2020.

Uma mulher que recebeu R$ 1.200, mas não tem filho, pode devolver metade do valor e ficar com o que, de fato, corresponde a ela?

Não. A devolução deve corresponder ao valor integral recebido em cada parcela. Ou seja, para cada parcela recebida, deve ser gerada uma GRU. O Ministério da Cidadania destaca que o valor devolvido deve ser igual ao valor recebido. O erro no valor do benefício também deve ser informado à CGU no site ou pelos telefones 121 ou 0800–707–2003.

Alguém que recebeu o auxílio enquanto esteve desempregado, pode cancelar o auxílio ao conseguir um emprego?

Sim. O trabalhador pode — e deve — cancelar o auxílio no sistema Fala.Br ao conseguir um emprego, afinal deixará de se enquadrar nos critérios do governo para recebimento do benefício.

Ao devolver as parcelas do auxílio, as demais são automaticamente canceladas?

Sim. Ao gerar a GRU, um aviso lembrará o beneficiário que as próximas parcelas serão automaticamente canceladas. Caso seu nome já esteja na folha de pagamento e você receba a próxima parcela, será necessário emitir uma nova GRU.

Quem devolver integralmente o valor recebido está isento de problemas legais?

Sim. Quem devolver o valor indevido integralmente não sofrerá as consequências legais descritas no art. 4º, da Portaria nº 351, de 7 de abril de 2020.

Como um trabalhador que foi incluso no programa por terceiros deve proceder para não ser prejudicado?

Se a pessoa receber alguma parcela do auxílio sem ter requisitado e não atender aos critérios estabelecidos por lei, deve registrar uma denúncia de fraude pelo Fala.br ou pelos telefones 121 ou 0800–707–2003.

O que acontece se a pessoa emitir as guias para devolução do auxílio e não pagar os boletos?

A devolução do benefício não será concluída e, por este motivo, o trabalhador ainda vai poder sofrer as consequências legais por receber o Auxílio Emergencial de forma indevida.

Se o trabalhar não movimentar o dinheiro do Auxílio Emergencial, o benefício é cancelado?

Apenas se ele tiver recebido a ajuda na poupança digital da Caixa e não movimentar o dinheiro por 90 dias. Se o auxílio for depositado em outra conta, será necessário devolver as parcelas por meio de boletos gerados no site do Fala.br.

O nome de quem recebeu o benefício indevidamente será divulgado em algum lugar?

Não há uma lista oficial com os nomes de quem recebeu o auxílio indevidamente. No Portal da Transparência, por sua vez, está a relação pública de todos que receberam o benefício — legalmente e ilegalmente. A pesquisa pode ser feita por estado, município, nome e CPF.

Como o governo descobre que alguém está recebendo o benefício indevidamente?

Informações de 18 bancos de dados são cruzadas para aferir a elegibilidade de cada requerimento, entre elas as do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) , do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e as de benefícios previdenciários.



Fonte: G1
Compartilhe:

Curta nossa pagina no Facebook

Previsão do Tempo

Mais Acessadas da Semana

Mais Acessadas

Arquivo do blog

Posts Recentes

Total de visualizações de página